Monthly Archives: abril 2013

Olá! Tudo bem?
O vídeo de hoje é mostrando bem rapidinho qual a maquiagem mais uso pra sair. Morro de preguiça de elaborar um olho legal na maioria das vezes, daí vai essa mesmo! Hahah
De vez em quando tem variações no blush, no batom, na sombra do cônvaco, mas é sempre o mesmo estilinho. Eu dei uma preenchidinha na sobrancelha com a sombra marrom do duozinho pra sobrancelhas da Mac, mas essa parte minha câmera não filmou :c

Os produtos usados aparecem no vídeo, mas caso não tenha dado pra ler, tá aqui a lista:
Base Kiko Skin Evolution (cor Natural Rose – 103) | Corretivo Trucco (cor Concealer Medium) | Pó solto (não sei a marca :/) | Pó Compacto Trucco (cor Bronze) | Sombra Contém 1g (cor Glacê Acetinado) | Sombra Cinza da Paletinha de Sombras da Guerlain cujo nome não descobri Delineador Quem Disse, Berenice? (cor Pretolino) | Máscara para cílios Le 2 Guerlain | Lápis de boca vermelho Payot | Batom L’oreal (cor 741) | Duo de sombras pra sobrancelha Mac (cor blonde taupe)

Postado por Antonella Restini

Oláá. tudo bem?

Hoje eu estava dando uma olhada nos posts de um grupo feminista de que participo no Facebook e me deparei com essa campanha da Dove. Achei maravilhosa.
O que a Dove fez? Contratou um desenhista treinado pelo FBI pra fazer retratos falados. Esse desenhista fez retratos de algumas mulheres com base na descrição física que elas deram sobre elas mesmas e depois repetiu o processo, só que com base na descrição que outras pessoas fizeram sobre essas mulheres. O resultado é chocante.

(Pra acessar o site da campanha e conferir tudo é só clicar em alguma das ilustrações do post)

Acredito que todas nós temos tendência a depreciar nossa imagem, independentemente do nosso nível de auto estima. A grande maioria sempre acha que poderia estar com o corpo um pouco melhor, o cabelo um pouco mais comprido ou mais curto, menos celulites, mais peito, mais isso, menos aquilo. Eu nunca conheci uma mulher que tivesse uma visão cem por cento positiva sobre a própria aparência.
É claro que isso acontece com homens também, só que em grau muito menor. A mídia e a propaganda sempre retratam a suposta mulher perfeita: magrinha, peituda, com bumbum arrebitado, cabelo liso, pele perfeita e branca. E esse padrão entra na nossa cabeça como verdade absoluta. Só que maioria dessas fotos de mulheres que se encaixam nesse padrão são completamente photoshopadas e não representam a verdade.
A verdade é gordinha, negra, tem cabelo cacheado e liso, é magrinha, tem seios pequenos, seios grandes, é baixinha, é alta.. A verdade é a diversidade.

Sei lá, eu só queria tentar falar nesse post que cada pessoa é única, e ninguém deveria deixar um padrão de beleza irreal ditar o modo como você deve ser, sabe?
Você é linda exatamente do jeito que é, e eu digo isso com a maior convicção do mundo.
Você é mais bonita do que pensa.

Grande beijo!

(Recomendo vocês darem uma olhada num projeto chamado The Nu Project. Ele consiste em fotos de mulheres lindas com todo o tipo de corpo, rosto, cabelo e pele, todas nuas. Vale a pena, é um projeto lindo também :D)

Postado por Antonella Restini

Oláá! tudo bem?

O post de hoje é mais vídeo que post. No Ask, pra variar, pediram pra que eu fizesse vídeos de favoritos e comprinhas do mês. Como eu não sou de sair comprando bastante coisa todo mês pra ter produtos legais pra mostrar sempre, resolvi fazer de vez em quando um apanhadinho do que to  gostando. O vídeo de hoje era pra ser de compras e favoritos, mas ficou muito longo e tive que cortar a parte das comprinhas. Fica pra próxima.
Apesar de ter tirado uma parte, o vídeo ainda ficou meio extenso. É que pra mim é impossível fazer um vídeo curto falando dos produtos que eu mais tenho usado, sabe?
Prometo fazer uma lista dos produtos e atualizar o post em breve.

É isso, espero que tenham gostado :D
Grande beijo!

Postado por Antonella Restini

Olá! Tudo bem?
Dei uma sumidinha porque to cheia de coisas pra fazer e acabo ficando meio sem tempo pra conseguir elaborar um post. Acho que jajá as coisas voltam ao normal e eu consigo me dedicar mais ao blog.
Enfim, direto ao ponto. Quem leu minha bio (aquela partezinha “sobre mim” debaixo do cabeçalho do blog) viu que eu não pretendo falar sobre moda simplesmente porque não gosto de moda, e viu que tenho como objetivo mostrar que dá pra se sentir bem sendo você mesma, sem seguir os padrões ditados pelas grandes marcas. Pois bem, venho aqui falar sobre meu mais novo amor: as calças de cintura alta, ou cós alto, como já ouvi falarem.

Look da Juliana Romano, do blog Entre Topetes e Vinis (http://gloss.abril.com.br/blog/entre-topetes-e-vinis/

Já fazia algum tempo que eu vinha querendo trocar as calças de cinturas médias e baixas pelas altas, mas nunca tinha visto alguma loja vendendo por um preço acessível. E sim, eu me recuso a pagar 300 reais numa calça só porque ela tem uma etiquetazinha chique. O motivo pelo qual queria me desfazer de todas as calças que eu tinha pra substituí-las por outras de um modelo diferente foi eu ter percebido que essas calças com a cintura muito baixa deformam meu corpo desde que me tenho por gente. Vou tentar explicar. Minha cintura, ao invés de ser inteira curvadinha, tinha uma marca muito acentuada onde a calça pegava. Calma, vou tentar ilustrar.


Ok, ficou péssimo, mas acho que deu pra ter uma ideia, né? Hahahahah
Enfim, essa marcação me proporcionava o que eu chamo de popotas, que são essas gordurinhas acima da linha da calça. Isso me irritava profundamente, e felizmente meu surto consumista por calças novas veio quando todas as minhas calças ficaram extremamente largas por eu ter emagrecido muito, então acabou sendo uma compra necessária. Minha mãe me levou num loja que tem no centro da cidade e achei duas calças lindas lá, de modelo simples. As duas são jeans e azuis. Uma mais clara e outra mais escura. O preco? R$ 54,00 cada, e o jeans é de ótima qualidade.
Nos dois primeiros dias que usei um das calças novas, achei bem estranho. Não estava acostumada ainda. Uma semana depois tive que usar uma calça de outrora que ainda me servia um pouco e foi horrível. Eu tinha a sensação de que ela tava caindo, sabe?
Ah, e não preciso nem falar que a marcação na minha cintura diminuiu consideravelmente em duas semanas e hoje praticamente não existe, né?

O mais legal é que não importa seu peso. É só escolher o modelo que fique melhor no seu corpo. Uma dica que dou é ver modelos um número acima da que você usa, porque todas as calças de cintura alta que vi nas lojas tinham o zíper muito curto e, consequentemente, as do meu tamanho não passavam pelo meu quadril. Ou seja, calça de cintura média/baixa, pra mim, é número 36. De cintura alta, 38.

Concluindo, mudar de modelo de calça foi ótimo pra mim. Primeiro porque os looks tendem a ficar bem mais estilosos. Segundo porque foi de grande ajuda pro formato do meu corpo. Terceiro que, baixinha que sou, a calça dá a impressão de eu ser mais alta, de alongar o corpo. Não pretendo largar esse novo amor nunca.

 

Espero que tenham gostado do post, e que ele tenha inspirado alguém :3
Grande beijo!

Postado por Antonella Restini